Bruno Procópio
Página inicial

Bruno Procópio - Cravo

Biografia

Bruno Procópio faz parte de uma nova geração de cravistas merecedora de especial atenção. Sua trajetória exemplar e sua formação junto aos professores Pierre Hantai e Christophe Rousset, fazem dele um dos mais interessantes jovens talentos do atual mundo do cravo.
A personalidade artística deste jovem músico merece ser descoberta, pela perspectiva nova e estimulante que trás ao repertório do cravo e pela originalidade do repertório de música "colonial brasileira" que propõe o Ensemble "Les Solistes du Palais royal" fundado pore le em 2005. Bruno Procopio é o atual diretor artístico do Festival de Música antiga de Paraty. Na edição de 2009, o Festival receberá o Ensemble "Les Solistes du Palais royal" com o objetivo de montar a opera barroca francesa "Les Amours de Ragonde" de Jean-Joseph Mouret. Este projeto recebe o apoio do Ministério da Cultura da França e fará parte das festividades oficiais do "Ano da França no Brasil".

Já na sua primeira experiência discográfica, Bruno Procopio propôs uma versão inovadora das
monumentais Partitas de J.S.Bach. Este disco foi muito bem acolhido pela crítica francesa, recebendo a classificação de " 5 Diapasons". Foi também escolhido como um dos cinco melhores discos de música barroca do ano de 2004, pelos exigentes críticos da revista americana "Fanfare".

Bruno Procópio fundou o selo discográfico Paraty com o apoio do distribuidor europeu Integral
Classic, com o objetivo de criar uma nova dinâmica ao disco clássico. Seu ultimo disco, dedicado as Sonatas para viola da gamba e cravo de J.S.Bach recebeu o "Choc du Monde de la Musique", uma das mais importantes recompensas discográficas em música clássica. O disco também recebeu a critica de "5 croches" da Pizzicato, revista especializada de Luxemburgo.

Nascido em 1976 em Juiz de Fora (MG), começou seus estudos musicais no Rio de Janeiro com Marcelo Fagerlande e Pedro Persone. Em 1993 partiu para Paris ingressando no Conservatoire National de Région onde concluiu o curso de aperfeiçoamento com menção honrosa.

Em 1996 obteve a primeira colocação no concurso de entrada para o Conservatoire National Superieur de musique et danse de Paris (CNSMDP) nas classes de cravo do professor Cristophe Rousset. Também teve aulas de música de câmara com os professores Blandine Ranou e Kenneth Weiss. Freqüentou igualmente no Conservatório a classe de pianoforte do professor Patrick Cohen. Em junho de 2001 Bruno Procopio obteve o dois Primeiros Prêmios no CNSM de Paris em cravo e em música de câmara. Durante oito anos teve aulas com o cravista Pierre Hantaï. Como cravista apresentou-se em Paris na Salle Gaveau, nos Archives Nationales e no Théâtre dês Champs Elysées em formação de música de câmara; também participou da integral do “cravo bem temperado” de J.S.Bach na Cité de la Musique. Tocou como continuista ao lado do cravista Richard Egarr na produção da ópera Acis and Galatea de G.F.Haendel. Realizou concertos com os flautistas Hugo Reyne e Laura Rónai. A pedido das embaixadas da França na Índia e no Irã organizou e dirigiu uma série de concertos dedicados as cantatas francesas realizados nos maiores teatros destes países. Foi convidado para fazer a abertura da série ”Música nas Igrejas” no Rio de Janeiro com a participação do flautista Hugo Reyne e da gambista Emmanuelle Guigues.

Bruno Procopio foi convidado pela Universidade Católica do Chile e da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Unirio, para ministrar master-classes de cravo, baixo continuo e música de câmara durante os cursos de inverno. Foi convidado pelo ”Centro Cultural Banco do Brasil” para dois concerto dedicado à música barroca francesa, no qual se apresentou junto ao cantor Paulo Mestre e a gambista Emmanuelle Guigues. Bruno Procopio realizou uma série de concertos dedicado a J.S.Bach na Sala Cecília Meiréles no Rio de Janeiro, estendendo também esta programação na Venezuela e nos Estados Unidos. Bruno Procopio colabora como continuista em diversos grupos e orquestras: Ensemble Turicum (Zurich), Le Poème Harmonique, com a direção de Vincent Dumestre, Ensemble Baroque de Limoge, com a direção de Christophe Coin, atuou como continuista junto a Orquestra Simón Bolívar em Caracas.

Fotos

Bruno Procópio Bruno Procópio Bruno Procópio Bruno Procópio

Mais fotos e discografia no site:
http://brunoprocopio.com/wp/